top of page

Projeto do IPPLAM é selecionado pelo WRI Brasil para Acelerador de SBN


Foto: Diego Padilha


O IPPLAM - Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Maringá teve projeto selecionado por banca de especialistas para participar do Acelerador de Soluções Baseadas na Natureza em Cidades, promovido pelo WRI Brasil, que tem como objetivo transformar ideias em projetos financiáveis para cidades mais resilientes e inclusivas. O WRI Brasil faz parte do WRI - World Resources Institute, instituição global de pesquisa com atuação em mais de 50 países e 12 escritórios internacionais, entre eles Brasil, China, Estados Unidos, Europa, México, Índia e África. O instituto atua no desenvolvimento de estudos e implementação de soluções sustentáveis em clima, florestas e cidades, trabalhando em parcerias com governos, empresas, academia e sociedade civil.


O projeto do IPPLAM inscrito e selecionado para o Acelerador do WRI é de um Parque Natural Linear Multifuncional ao longo de córregos em fundo de vale, no qual pretende propor soluções sistêmicas para diversos problemas concentrados nessas áreas, como a gestão sustentável das águas urbanas, a perda de biodiversidade, mobilidade urbana, entre outros.


Segundo a Diretora-Presidente do IPPLAM, Bruna Barroca, algumas das soluções que estão sendo previstas dentro da SBN proposta contemplam áreas de esporte e lazer para a população, jardins de chuva, rotas verdes para pedestres e ciclistas e florestas urbanas. “As SBN são soluções sistêmicas para os reais problemas das cidades, que devem garantir simultaneamente benefícios sociais, econômicos e ambientais, com ganhos de biodiversidade.”


O conceito de SBN surge como resposta para a cidade quanto às mudanças climáticas e a perda de biodiversidade, que são apontadas entre os principais riscos à humanidade e à economia global. O projeto vai de encontro ao conceito de ESG, fortalecendo as medidas de boas práticas no aspecto da consciência social, sustentabilidade e governança, para a prefeitura municipal de Maringá.


“As SBNs visam solucionar diversas problemáticas com uma única solução, otimizando os recursos e o espaço urbano, por isso escolhemos nos dedicar a este projeto. A construção da proposta vai envolver além da equipe técnica do IPPLAM, outras secretarias municipais, a participação da população, comunidade científica, conselhos, ONGs, sociedade civil, entre outros,” afirma Bruna, sobre o desenvolvimento do projeto.


Dez projetos em estágio inicial ou de ideação, incluindo o maringaense, foram selecionados, entre mais de 80 inscritos. Os projetos selecionados para participar do Acelerador receberão capacitação técnica, mentorias de empresas nacionais especializadas e apoio na estruturação financeira e estratégica do projeto, além de oportunidades de conexão com financiadores.


Local onde será implementado o Parque Natural Linear Multifuncional


O projeto deve contar com a parceria de outras secretarias e instituições do município, transversais a proposta a ser desenvolvida, como a SEMOP - Secretaria de Obras Públicas, o IAM - Instituto Ambiental de Maringá, a SEMOB - Secretaria de Mobilidade, SEURBH - Secretaria de Urbanismo e Habitação, entre outras. Para a Diretora de Planos e Projetos Territoriais, Fernanda Marostica, “participar desta mentoria é uma grande oportunidade de estar em contato com o que há de referência na área a nível global, além de ter o potencial de proporcionar uma quebra de paradigmas para Maringá, algo inovador, principalmente quanto à maneira de lidar com os problemas urbanos, partindo de soluções multifuncionais e integradas”.


O Acelerador de Soluções Baseadas na Natureza em Cidades é uma realização do WRI Brasil, com apoio da Fundação Grupo Boticário, financiamento da Caterpillar Foundation e do Governo do Reino Unido, e também conta com a parceria das iniciativas Cities4Forests e Aliança Bioconexão Urbana.


Encontro de cocriação e visita ao parque multifuncional em Niterói (RJ)



Foto: Diego Padilha


A primeira etapa da mentoria já iniciou com um encontro presencial em Niterói (RJ) nos dias 6 e 7 de fevereiro. Durante os dois dias do evento, representantes dos dez projetos acelerados pelo WRI compartilharam desafios e soluções de suas cidades em um hub de co-criação e realizaram uma visita técnica ao Parque Orla de Piratininga, que é um projeto urbano de soluções baseadas na natureza da cidade fluminense.


“A dinâmica proporcionou uma troca intensa e enriquecedora entre os projetos. Em um curto espaço de tempo, as cidades puderam compartilhar soluções e perspectivas para problemas comuns”, explica Magdala Satt Arioli, coordenadora de Financiamento e Economia Urbana do WRI Brasil.


Para a arquiteta do IPPLAM Tamires Berton, que participou junto a diretora Fernanda Marostica deste primeiro encontro do programa, “Foi um momento engrandecedor, estar com profissionais de diferentes cidades e técnicos com experiência na área. Em pouco tempo, pudemos expandir os olhares sobre cada um dos projetos, visualizar caminhos e soluções. Voltamos cheias de ideias e motivados para dar sequência nos trabalhos”.


O próximo encontro, será de capacitação online no dia 28 de fevereiro.


Foto: Diego Padilha

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page